Ex-secretário diz que Saúde precisava de doação desviada para programa de Michelle

Ex-titular da Secretaria de Vigilância da pasta rechaça explicação do Planalto sobre recusa de doação.

Foto: Carolina Antunes/PR
Foto: Carolina Antunes/PR

 

Ao contrário do que justificou o governo de Jair Bolsonaro, o Ministério da Saúde precisava da doação feita pela empresa Marfrig para compra de testes para o novo coronavírus, que provoca a Covid-19. É o que afirma o ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde da pasta, Wanderson Oliveira.

Na semana passada, reportagem da Folha revelou que a empresa doou R$ 7,5 milhões para ajudar governo federal no combate ao vírus, mas o montante foi repassado para o programa Pátria Voluntária, chefiado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro.

A justificativa do Palácio do Planalto foi que, em maio, quando foi feita a doação, a Saúde não precisava de equipamentos para realizar testes contra a doença.

“Claro que precisava. Lançamos o Diagnostica Brasil em 6 de maio”, rechaça Oliveira. E acrescentou: “Agora precisará mais do que nunca. Quanto mais testes fizermos melhor será para a manutenção das atividades econômicas com segurança”.

Fonte: Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *