Para atrair coroinhas e cometer abusos sexuais no DF, Padre usava doce

Padre usava doce para atrair coroinhas e cometer abusos sexuais no DF

Foto: Reprodução/Redes sociais

Uma nova vítima de assédio e abuso sexual supostamente cometidos pelo padre Delson Zacarias dos Santos, no Distrito Federal, falou sobre as investidas do pároco. O relato foi feito ao Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

Segundo a publicação, o padre oferecia “doce de banana” para atrair coroinhas que faziam parte de um grupo do qual ele mantinha proximidade. Com as denúncias, a Arquidiocese de Brasília afastou o religioso de suas funções.

O servidor público, de 31 anos, conta que o assédio ocorreu quando ele tinha entre 14 e 15 anos, período em que frequentava a igreja no Riacho Fundo, na qual o padre era responsável. Segundo a vítima, o padre passou a se tornar mais próximo quando ele foi escolhido para o grupo de Cerimoniários, em que só havia participantes do sexo masculino até 18 anos.

“Geralmente, quando algum fiel quer entrar em determinado grupo da igreja, procura-se a pastoral, depois faz uma reunião e pronto. No caso dos Cerimoniários, quem fazia a escolha pessoalmente era o padre Zacarias. Esse grupo era o mais próximo dele”, explicou a vítima.

De acordo com a vítima, em 2004, o padre fez um convite para levar o então adolescente para buscar um doce de banana em sua residência. O servidor público disse que o religioso fez uma pergunta direta ao chegar na casa. “Ele quis saber se eu tinha o costume de me masturbar. Respondi que sim, achando que ele fosse me corrigir. Depois, pediu que eu tirasse a blusa, pois queria ver se eu era magrinho. Em seguida, pediu para ver minhas ‘coxinhas’. Naquele momento, o padre foi além e pediu para que eu tirasse o short”, contou ao Metrópoles.

“Ele pediu para que eu ficasse de cueca. Naquele momento, fiquei com o corpo todo tremendo, mas tive a reação de dizer que queria ir embora. Ele, então, me levou de volta, sem dizer uma palavra durante o trajeto até a minha casa”, recordou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *